04 de Agosto, Dia do Padre

Neste domingo, 04 de agosto, a igreja comemora o Dia do Padre.

A Paróquia Santa Rita de Cássia faz parte da Província Santo Tomás de Vila Nova que pertente a Ordem dos Agostinianos Recoletos, uma comunidade de frades a serviço da igreja nas paróquias, seminários, obras sociais e até em escolas.

Fazemos hoje, dia do padre, uma reflexão sobre a diferença entre frei e padre.

Padre significa “Presbítero”, “Pai”. É um título para o Sacerdote, um homem retirado do povo para servir o Sagrado, para santificar em nome de CRISTO. Ao falar em Padre, normalmente, pensamos no Padre que trabalha numa Paróquia. Por isso,é um Pai para a comunidade.

Frei significa “Frade”, “Irmão”. É um título para o Religioso, um homem retirado do povo para incorporar-se à uma congregação religiosa para viver uma mesma regra de vida no Convento ou Mosteiro, deixada por seu Santo Fundador, no meu caso, a Regra deixada por Santo Agostinho, sec. IV. Portando, entre si, os frades se chamam de freis, uma abreviação de frade.

DIFERENÇA ENTRE PADRE DIOCESANO: SECULAR E PADRE RELIGIOSO: REGULAR.

O Padre “diocesano” possui a vocação e a missão próprias de representar Cristo cabeça e Pastor da Igreja diante de uma comunidade paroquial ou função dada pelo Ordinário local (quase sempre o Bispo). Foi esse o chamamento de Cristo: evangelizar, pregar, curar, exortar, ensinar e estar à frente das ovelhas.

Ligado a uma diocese (incardinado), o Padre diocesano cumpre seu dever de pastor intimamente ligado ao seu Bispo, à serviço do território diocesano (incardinado e residente) ou fora dele, segundo as prescrições e mandatos do Ordinário local (incardinado e não residente).

O Padre Diocesano cumpre sua vocação servindo às necessidades da diocese. Possui uma espiritualidade singular: a de ser Cristo Sacerdote e Pastor em qualquer realidade a que seja enviado ou investido. Tal espiritualidade não exclui outras possíveis, que o sacerdote abraça segundo sua consciência e gosto pessoal.

O Padre “religioso”, assim como o Padre Diocesano, também possui a vocação e a missão próprias de representar Cristo cabeça e Pastor da Igreja diante de uma comunidade religiosa, pois antes de ser chamado a representar Cristo diante da comunidade paroquial, sua vocação primeira é a vida consagrada, a representar uma comunidade específica, que pode ser uma “Congregação” ou uma “Ordem”.

Na Ordem, Congregação ou Instituto, o religioso faz primeiro sua “Consagração”, através de votos solenes, assumidos de forma pública. Normalmente, esses votos são em número de três: pobreza, castidade e obediência, podendo variar de um Instituto para outro.

O Padre Religioso é vocacionado acima de tudo a um autêntico ministério profético, que se chama “carisma”, e que é próprio em cada Instituto de Vida Consagrada. Cada Congregação ou Ordem religiosas possuem um carisma que é desenvolvido tanto internamente, entre os irmãos, quanto externamente, junto do povo.

O Padre Religioso é incardinado em seu Instituto e deve obediência primeira ao seu Superior próprio Geral e também aos superiores imediatos. Enquanto estão inseridos na realidade de uma paróquia e de uma diocese, devem também obediência ao Bispo diocesano, em especial ao que tange aos assuntos pastorais e financeiros do lugar onde trabalham.

Assim, o Padre Religioso não está ligado a um território ou função, como o Padre Diocesano, pois a sua missão é delegada pelo Superior de cada Comunidade Religiosa e não pelo Bispo da Diocese.

Portanto, o Padre Religioso pode exercer seu ministério muito além de área geográfica pertencente à uma Diocese, ou seja, ele poderá exercer seu ministério onde sua Ordem, Congregação ou Instituto assume uma paróquia ou uma missão.

No caso de um Padre Religioso Agostiniano Recoleto ou um Frei Agostiniano Recoleto, ele poderá exercer seu ministério religioso ou sacerdotal em 22 nações diferentes: Espanha, Brasil, Colômbia, México, Estados Unidos, Filipinas, Venezuela, Perú, Panamá, Argentina, Costa Rica, Reino Unido, República Dominicana, Guatemala, Italia, Taiwan, Chile, China, Serra Leoa e Cuba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *